voltar
O que o plano de cargos e salários?

Plano de cargos e salários: 7 dicas importantes para implementá-lo na sua empresa

O plano de cargos e salários é usado nas empresas com o intuito de organizar e determinar os cargos dos colaboradores, podendo assim, garantir um maior nível de competitividade salarial no mercado.

Como você já sabe, a gestão de pessoas é um “braço” importante para todo negócio.

E uma das tarefas mais importantes estratégias utilizadas por eles é o plano de cargos e salários, uma ferramenta necessária para definir cenários e critérios para os diversos momentos na carreira dos colaboradores, seja com uma progressão ou promoção na carreira.

Neste artigo, você saberá qual o conceito dessa ferramenta, qual a sua importância, quais são as diferenças entre plano de carreira e o plano de cargos e salários, além de trazer 7 dicas importantes de como você pode implementá-lo no seu negócio de forma assertiva.

Portanto, confira quais serão os principais tópicos abordados e boa leitura!

O que é o plano de cargos e salários?

Como o plano de cargos e salários surgiu?

Assim como falamos anteriormente, o plano de cargos e salários é uma ferramenta de planejamento, utilizada pelo RH ou DP para estruturar os cargos disponíveis em uma empresa. 

Essa estruturação é importante para manter maior transparência entre as partes interessadas (empregador e empregado). 

Um bom plano de cargos e salários deve conter:

  • Descrição das atividades: descrição detalhada das funções e responsabilidades de cada posição dentro da empresa;
  • Ranqueamento de cargos e elaboração do organograma: estruturação hierárquica dos cargos com base em critérios de importância e complexidade, resultando na criação de um organograma claro e eficiente;
  • Análise de equilíbrio interno e externo: avaliação comparativa para garantir a igualdade salarial em relação ao mercado;
  • Adequação aos planos de carreira: alinhamento das funções e cargos com os planos de desenvolvimento profissional dos colaboradores, promovendo o crescimento e a satisfação;
  • Políticas salariais: elaboração e implementação de diretrizes salariais que garantem mais competitividade e justiça na remuneração dos colaboradores. 

A importância do plano de cargos e salários

A relevância de um plano de cargos e salários para um negócio pode ser mais significativa do que você imagina.

Além de fomentar a motivação e o engajamento dos colaboradores, a empresa fortalece seu employer branding — um conceito que faz com que os profissionais vejam a organização como uma escolha atraente para desenvolver suas carreiras.

Consequentemente, isso facilita tanto a atração quanto a retenção de talentos, garantindo que a empresa mantenha uma equipe qualificada e comprometida.

Um aspecto importante nesse processo é o planejamento financeiro.

Com uma definição clara dos próximos passos para cada função dentro da empresa, é possível realizar projeções futuras mais precisas e tomar decisões de forma mais eficaz.

Todos esses fatores, em conjunto, contribuem para manter um clima organizacional equilibrado, otimizar os processos de recrutamento e seleção, e evitar desvios de função e acúmulo de tarefas.

Confira agora quais são os benefícios tanto para empregadores quanto para empregados:

Benefícios para a empresa

A utilização desta ferramenta permite uma compreensão mais aprofundada de todos os perfis profissionais necessários para que a empresa possa entregar produtos, serviços e demandas com qualidade de agilidade, garantindo assim, uma posição de maior destaque no mercado.

Além disso, a implementação de um plano de cargos e salários bem estruturado, contribui significativamente para a retenção de talentos e atração de profissionais altamente qualificados. 

Isso porque proporciona aos colaboradores a certeza de crescimento contínuo em suas funções e níveis hierárquicos, evitando a estagnação.

Esse sentimento de progressão e pertencimento faz com que os profissionais se sintam realizados e menos inclinados a buscar novas oportunidades fora da empresa, aumentando, assim, o engajamento e a produtividade em suas equipes e tarefas.

Essa ferramenta otimiza os processos de recrutamento para novas vagas, valorizando a proposta para os candidatos. 

Além de permitir um controle preciso dos investimentos em treinamento e capacitação, direcionando-os para o desenvolvimento das posições mais estratégicas da organização.

Benefícios para os colaboradores

Já para os colaboradores, o plano de cargos e salários proporciona maior confiança e oferece recursos essenciais para o desenvolvimento e avanço de suas carreiras. 

Isso resulta em um aumento na motivação dos funcionários, no engajamento das equipes, na produtividade e na satisfação com suas posições e com a empresa. 

Além disso, com o plano em prática, os colaboradores têm à disposição três trajetórias distintas de carreira dentro da empresa: a carreira em W, a carreira em Y e a carreira linear, cada uma com suas características únicas.

Vamos falar mais sobre cada um destes modelos de progressão de carreira no decorrer do texto.

Quais são as diferenças entre plano de cargos e salários e plano de carreira?

Você sabia que muitas pessoas confundem o plano de cargos e salários com o plano de carreira? 

Mesmo que sejam conceitos distintos, estes dois conceitos caminham juntos.

Continue fazendo a leitura do texto, pois você vai saber quais são as diferenças. Veja!

Antes de mais nada, você precisa entender que o plano de carreira é uma ferramenta essencial voltada para o desenvolvimento profissional. 

Ele delineia o percurso que o colaborador deve seguir dentro da empresa para alcançar o cargo desejado. 

Esse modelo inclui a duração em cada posição, as competências exigidas, cursos, habilidades e qualificações necessárias para uma promoção.

Suponhamos que um funcionário que entra em uma empresa como trainee sabe que deverá permanecer nessa função por cerca de 2 (dois) anos, completar uma pós-graduação, atingir metas específicas e aprender um novo idioma para ser promovido a uma posição júnior.

O objetivo do plano de carreira é guiar a trajetória do colaborador dentro da organização, mantendo-o motivado a atender às expectativas da empresa e alcançar suas metas profissionais.

Compreender a distinção entre plano de carreira e plano de cargos e salários pode parecer desafiador à primeira vista. 

Assim como mencionamos anteriormente, elas são estruturas distintas.

O plano de carreira oferece uma visão clara das possibilidades de crescimento dentro da empresa, delineando o percurso necessário para alcançar metas individuais. 

Por outro lado, o plano de cargos e salários se concentra na organização interna, definindo responsabilidades, expectativas de desempenho e remuneração para cada função.

Aproveite para baixar a sua planilha de planos de cargos e salários agora mesmo!

7 dicas importantes para elaborar um plano de cargos e salários

Como criar um bom plano de cargos e salários?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o plano de cargos e salários, continue conosco, pois você vai conferir 7 (sete) dicas de como criar um para a sua empresa de forma assertiva. Confira!

1ª: Faça a análise organizacional e avaliação de cargos

Para começar, é fundamental realizar um levantamento detalhado de todos os cargos e atualizar suas descrições e responsabilidades.

Eles devem ser organizados por áreas e classificados de acordo com sua importância para o negócio.

Essa análise é importante para identificar as posições que merecem maior destaque em relação às outras.

2ª: Faça uma pesquisa salarial

Com a lista de cargos revisada e atualizada, você precisa compreender como o mercado remunera essas posições. 

Para isso, você deve realizar uma pesquisa de cargos e salários com empresas concorrentes. 

Aqui, recomendamos que você contrate uma consultoria especializada no setor, garantindo que os resultados sejam mais precisos.

3ª: Execute a estruturação da tabela salarial

A estrutura de cargos e salários da sua empresa deve ser baseada nas funções identificadas, nos níveis de maturidade e qualificação exigidos para cada uma, bem como nas faixas salariais praticadas no mercado.

Assim, cabe à você definir a remuneração, levando em consideração fatores como o plano de benefícios e o perfil dos colaboradores que pretende atrair, selecionar e reter.

4ª: Faça uma análise da competitividade salarial

Para avaliar se a remuneração oferecida é competitiva com o mercado, é preciso compará-la com a de empresas que buscam os mesmos profissionais. 

Isso porque, ao decidir onde trabalhar, o profissional considera as melhores oportunidades disponíveis.

Um indicador de desempenho útil para medir essa competitividade salarial é a porcentagem de competitividade salarial, calculada da seguinte forma:

  • Porcentagem de competitividade salarial = (salário oferecido ÷ salário médio de mercado) x 100.

Por exemplo, se o salário oferecido for R$2.800,00 e o salário médio de mercado for R$3.300,00. Logo:

  • (R$2.800,00 / 3.300,00) x 100 = 84%.

Qualquer resultado abaixo de 100% pode indicar uma política salarial arriscada, que pode levar à perda de talentos e ao aumento da rotatividade na empresa.

Além do salário, é importante lembrar que a proposta de valor da empresa para o colaborador inclui diversos fatores, como:

  • Oportunidades de qualificação;
  • Chances de crescimento;
  • Benefícios;
  • Participação nos lucros;
  • Natureza do trabalho;
  • Carga horária.

5ª: Leve em consideração a saúde financeira do seu negócio

As questões internas envolvem uma análise detalhada dos benefícios do plano de cargos e salários, podendo abarcar diversos setores. 

Sabendo disso, o RH ou DP precisa estabelecer políticas alinhadas com a situação econômica da sua empresa.

Para isso, é preciso avaliar a saúde financeira do seu negócio, garantindo que ele possa suportar os ajustes necessários a longo prazo. 

Portanto, as decisões devem ser tomadas de acordo com o fluxo de caixa, bem como outros demonstrativos financeiros, o que envolve uma comunicação eficaz entre os setores responsáveis, como RH ou DP, financeiro e direção.

6ª: Crie modelos de progressão de carreira

Visualizar um plano de cargos e salários é como imaginar uma escada, onde cada degrau representa uma função dentro da empresa. 

A grande questão, entretanto, é como estabelecer essas etapas de forma prática.

Portanto, é preciso considerar o tipo de carreira antes de determinar qual o plano ideal. Veja como fazer! 

Carreira Linear

A carreira linear nada mais é do que cargos oferecidos, onde progredir significa assumir posições de gestão e liderança, como por exemplo, avançar de analista para coordenador e, posteriormente, para gerente.  

Carreira em Y

Na carreira em W, o profissional se concentra em multifunções, equilibrando conhecimentos técnicos e posições de gestão.

Carreira em W

Já a carreira em Y é ideal para aqueles que desejam assumir funções com maior especialização técnica.

7ª: Defina a política salarial

Por fim, o momento de definir a política salarial é a etapa mais importante da criação do plano de cargos e salários

A partir dela, você pode criar treinamentos, capacitações e promoções, estabelecendo regras claras que permitam que todos entendam o que é necessário fazer para progredir em suas carreiras.

Aproveite e leia também:

Quais são os principais erros ao criar um plano de cargos e salários?

Quais são os erros mais comuns ao fazer o plano de cargos e salários?

Implementar um plano de cargos e salários em uma empresa que ainda não o possui pode parecer desafiador, pois requer atenção aos detalhes e às etapas essenciais. Evitar erros comuns é fundamental nesse processo.

Confira quais são os erros mais comuns das empresas ao implementarem o plano de cargos e salários:

Salários abaixo do mercado

Iniciar um plano de cargos e salários com sucesso demanda evitar um dos erros mais comuns: oferecer remunerações que não condizem com o cargo e suas responsabilidades. 

Portanto, assim como falamos anteriormente, é importante conduzir uma análise detalhada do mercado, considerando os concorrentes e outros aspectos envolvidos na determinação salarial do cargo em foco.

Falta de estrutura na carreira

Implementar um plano de cargos e salários eficaz também exige a construção cuidadosa de uma trajetória profissional sólida. 

Enquanto o salário é uma parte importante, um plano de carreira bem definido é igualmente essencial. 

Isso serve não apenas para os atuais colaboradores, mas também para os futuros ingressantes na empresa.

Todos aspiram a progredir em suas carreiras, estabelecendo e alcançando novas metas, e buscando constantemente oportunidades de aprendizado e desenvolvimento. 

Portanto, ao criar e implementar um plano de carreira estruturado, a organização oferece aos colaboradores não apenas uma direção clara para o crescimento, mas também uma fonte de motivação e desafio. 

Criação de cargos em necessidade

Por fim, outro erro crasso cometido pelas empresas é criar cargos e contratar sem demanda efetiva pode resultar em ociosidade significativa para os profissionais, desperdiçando recursos preciosos. 

Muitas vezes, uma simples reorganização interna das tarefas pode suprir as necessidades, sem a necessidade de novas contratações

É fundamental ponderar cuidadosamente a real urgência de expandir a equipe, para não comprometer recursos em prol de um crescimento potencial no futuro.

Conclusão

Chegamos ao final de mais um artigo! Esperamos que você tenha compreendido sobre este tema bastante importante para as empresas. 

Saiba que investir na criação de um plano de cargos e salários é investir no sucesso a longo prazo da empresa. 

Não se trata apenas de recompensar os funcionários pelo seu trabalho, mas de criar um ambiente onde todos possam prosperar e contribuir para o crescimento e a excelência organizacional.

Se você gostou deste texto, compartilhe-o nas suas redes sociais e aproveite para ler outros conteúdos interessantes através do nosso blog.

Até a próxima!

img
img

Experimente nosso sistema agora

mail-icon

Leia Também: